Mulher denuncia homofobia em restaurante na BA que pediu para ela não beijar namorada: ‘Ambiente familiar’

Mulher denuncia homofobia em restaurante na BA que pediu para ela não beijar namorada: ‘Ambiente familiar’

Uma mulher de 30 anos, engenheira e empresária denunciou nas redes sociais e à Polícia Civil o crime de homofobia que sofreu quando estava acompanhada da namorada, no restaurante Barravento, que fica no bairro da Barra, em Salvador.

Gabriella Santana Garrido detalhou em entrevista ao G1 que o caso aconteceu na última sexta-feira (15), quando ela foi fazer uma refeição no estabelecimento e assistir o pôr do sol com Maiana Mendes, que também tem 30 anos.

Segundo a engenheira, após ela acariciar a namorada e receber um selinho, o gerente do restaurante foi até a mesa dela e pediu para ela “contivesse os contatos e diminuísse as carícias”.

“A gente estava no Barravento, eu fui com minha namorada, consumir no local e ver o pôr do sol. Depois de comer dois pratos, fomos para uma mesa mais próxima da faixada, fizemos algumas fotos e lembro de ter feito uma carinho no cabelo dela [Maiana] e também dei um beijo próximo do cabelo dela, que retribui com um selinho”, contou Gabriella.

“Logo em seguida, ele me abordou e pediu para que a gente contivesse o nossos contatos e diminuísse nossas caricias. Eu me levantei, perguntei se ele estava fazendo um ato homofóbico e pedi para falar com o superior dele e aí ele falou que não tinha ninguém que respondesse por ele no local, porque ele era o gerente da casa”, completou.

Gabriella contou que ela pediu para que o gerente, que foi identificado como “Senhor Aurélio” passasse os dados dele para que ela pudesse registrar o caso na delegacia. “Ele [gerente] disse que não tinha problema e me disse o nome dele”.

A engenheira também informou que o a sensação que ela teve foi de impotência e que começou a chorar.

“Eu desabei em lágrimas, isso nunca tinha acontecido na minha vida. Alguns casais presenciaram o momento e foram até minha mesa para me consolar, perguntaram se poderiam me dar um abraço”, lamentou Gabriella.

“Graças a Deus existem pessoas boas no mundo. Uma mulher mandou eu denunciar e disse que era um caso de homofobia. Ela disse que tinha acabado de beijar o marido e não foi abordada”.

Em nota divulgada nas redes sociais, o restaurante Barravento informou que repudia qualquer ato de intolerância a gênero, cor, sexualidade, entre outras que violam o direito humano a liberdade de escolha.

Entretanto, o estabelecimento contou que caso “não passou de uma interpretação equivocada da consumidora”, porque o restaurante tem um público diversificado e reafirma o compromisso com a diversidade.

Na publicação, o restaurante Barravento também informou que realizou há 30 dias, uma cerimônia de casamento, de um casal LGBT. A postagem foi apagada pelo estabelecimento após a reação do público.

Em nota enviada pelo estabelecimento ao G1, o Barravento lamentou o transtorno que possa ter causado a seus clientes, disse que atos discriminatório e pediu desculpas a quem tenha se sentido ofendido.

O Restaurante Barravento também informou que toda a sua equipe de atendimento vai passar pelo Programa de Combate à Lgbtfobia institucional Municipal de Salvador.

O caso foi registrado na delegacia da Barra, onde é investigado. Não há detalhes de se o suspeito foi ouvido pela polícia.

Fonte: G1/Portal Pa4

Deixe uma resposta

Fechar Menu