Portal Jatobá

Rússia: Primeiro lote da vacina contra coronavírus passa no teste da Vigilância em Saúde

Rússia: Primeiro lote da vacina contra coronavírus passa no teste da Vigilância em Saúde

Nesta terça-feira (08), o Ministério da Saúde da Rússia anunciou que o país liberou sua vacina contra o coronavírus para o público em geral, o País está em primeiro lugar no mundo no avanço cientifico no desenvolvimento da vacina para combater o Coronavírus.

MINISTÉRIO DA SAÚDE

De acordo com declarações reproduzidas pela agência de notícias Tass, o ministro de Saúde da Rússia, Mikhail Murashko, afirmou porém que “a produção civil nesta fase significa a vacinação de cidadãos dos grupos de risco, nomeadamente professores e médicos”. Murashko reiterou que o fornecimento do imunizante contra a Covid-19 para as regiões russas é esperado “em um futuro próximo”.

OS TESTES

Todavia apenas pessoas maiores de 18 anos participam dos testes, mas o produto final deverá ter uma versão adaptada para as crianças, mais leve e, portanto, menos suscetível a reações.

Por isso, em 11 de agosto, a Rússia se tornou o primeiro país do mundo a registrar uma vacina contra a infecção pelo novo coronavírus, a Sputnik V. O imunizante passou por testes clínicos entre junho e julho e mostrou resultados promissores nas fases 1 e 2. A vacinação dos grupos de risco deve ser efetuada paralelamente aos ensaios clínicos pós-registro, ainda na fase 3.

Mas, até o momento, a vacina russa contra o coronavírus será destinada para pessoas com idade entre 18 e 60 anos.

REPERCUSSÃO

Na sexta-feira (04), a revista científica The Lancet divulgou o primeiro estudo (íntegra – 661 KB) que aponta que a Sputnik V não teve efeitos adversos e induziu resposta imune ao novo coronavírus. O estudo mostrou também que a vacina produzida na Rússia apresenta resultados referentes às fases 1 e 2 de testes.

Segundo o governo da Rússia a vacinação será em ‘futuro próximo começará por pessoas com risco e depois, em professores e médicos. O Imunizante está na fase 3 de testes. Disse o governo da Rússia.

Diante do avanço científico na Rússia, no Brasil, firmou uma parceria com o governo do Paraná para também desenvolver a vacina russa e informou na sexta (04) que o pedido de registro do imunizante à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve ser feito em 10 dias. Os testes no país devem começar em um mês.

Clique aqui para fazer parte do nosso grupo de notícias no Telegram

Fonte: G1

compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp