Pernambuco: Novos Promotores assumem 20 cidades no início de março; Petrolândia é uma delas

0

A população de 20 cidades do interior de Pernambuco vão contar, a partir do dia 5 de março, com promotores de Justiça titulares. Convocados em novembro do ano passado, os novos membros do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) estiveram na manhã desta quinta-feira 18 na sede da instituição, no bairro de Santo Antônio, na região central do Recife, para a definição de quais comarcas vão trabalhar. A posse dos promotores está marcada para 6 de fevereiro, no Teatro Beberibe, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda.

Ao todo, 504.674 pessoas serão beneficiadas com a medida, promovida pela Procuradoria Geral de Justiça. Junto aos 21 outros membros que assumiram seus cargos no ano passado, são 41 novos promotores de Justiça convocados pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.

No Sertão, foram definidos os titulares de 14 promotorias: Bodocó, que terá o promotor de Justiça Eduardo Aquino; Cabrobó, Tiago Boulhosa Gonzalez; Carnaíba, Ariano Aguiar; Custódia, Tiago Meira Souza; Exu, Nara Guimarães; Flores, Rafael Steinberger; Floresta, Camila Guerra; Inajá, Patrícia Siqueira; Petrolândia, Felipe Britto; Serrita, André Almeida; Tabira, Eryne Luna; Tacaratu, Fábio Estevam; Terra Nova, Raíssa Lima; e Trindade, Fábio Castro. Já no Agreste, foram cinco: Águas Belas, Daniel Mesquita; Buíque, Vinícius Araújo; Ibirajuba, Gabriela Lapenda; Jupi, Crisley Tostes; e Lagoa dos Gatos, Leandro Matos; e na Zona da Mata, Chã Grande, que terá como promotor Gustavo Holanda Dias.

Os novos membros do MPPE ainda passarão por algumas instâncias burocráticas antes de começarem a trabalhar. Em 2 de fevereiro, farão exame médico. Em 7 de fevereiro, dia seguinte à posse, os promotores iniciarão o curso de formação, onde passarão por uma capacitação sobre o funcionamento do MPPE, suas atribuições e os principais desafios do cargo. E no dia 5 de março, após concluírem a formação, assumem os cargos formalmente.

O procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, falou aos novos colegas sobre as dificuldades que enfrentarão, mas os exortou a seguirem suas vocações e a adotarem o espírito de coletividade que é uma das marcas do Ministério Público de Pernambuco. “O promotor no interior é mais do que um promotor: é conselheiro, é psicólogo, é até médico. A carência do cidadão é muito grande e temos que estar preparados para isso”, disse ele, lembrando os esforços do ponto de vista de orçamento foram feitos para que fosse possível convocar 41 aprovados no concurso. 

Via MPPE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here